o município de Torre de Moncorvo tem pedalada

Foi preciso pedalar até ao concelho de Torre de Moncorvo para ver este sinal. Aproveito para deixar algumas considerações a respeito de uma regra que muito condutor desconhece: respeitar o limite mínimo de 1,5 metros de distância lateral ao ultrapassar o ciclista. Infelizmente, ainda é raro o dia em que eu não sofra aquela tangente desnecessária.

Que eu saiba, Torre de Moncorvo é o único concelho no país com sinalização para a segurança dos ciclistas. Abrangendo todo o concelho, no total são cerca de 70 sinais que estão espalhados pelas estradas municipais e caminhos agrícolas, alertando os condutores para a existência de ciclistas e indicando a distância recomendada à sua passagem, conforme diz a lei.

Desde 2006, a Câmara Municipal de Torre de Moncorvo (CMTM) tem reconvertido em Ecopista alguns dos troços da antiga Linha do Sabor,  que outrora permitia a ligação ferroviária entre o Pocinho e Duas Igrejas (nunca chegou a Miranda do Douro) . Desta forma tem vindo a dar nova utilidade a uma fundamental via de circulação de pessoas e mercadorias desactivada nos anos 80, e “promover a prática de actividade física junto dos munícipes e nossos visitantes”.

“Pela primeira vez um concelho tem sinalética para o cicloturismo. Os sinais estão em todo o concelho com o objectivo de dar mais segurança aos praticantes de uma modalidade que a autarquia patrocina no âmbito do programa Município Activo”, referiu em 2016, Nuno Gonçalves, presidente da CM de Torre de Moncorvo.

Numa óptica mais alargada e de captação de visitantes em bicicleta, foi terminada este ano a ligação desde ao Pocinho, estação onde ainda terminam a marcha os comboios de passageiros da Linha do Douro, até ao centro desta vila transmontana. Com a reconversão de mais 11 quilómetros dedicados exclusivamente a peões e ciclistas, são já cerca de 32 km de infra-estrutura ciclável que o município de Torre de Moncorvo oferece.

É uma alternativa ao asfalto das estradas municipais. Permite não só vencer 300 metros de cota com inclinações nunca superiores a 2.5%, como acrescenta a mais valia de uma perspectiva diferente da envolvente cénica do Rio Douro, das encostas e socalcos vinícolas, bem como da verdejante Foz do Rio Sabor e do Vale da Vilariça.

Em conjunto, os municípios de Torre de Moncorvo e de Miranda do Douro já reconverteram quase metade dos 105 quilómetros desta que será, um dia quem sabe, a mais longa ecopista do país. Ficam a faltar os troços à passagem dos municípios de Mogadouro e de Freixo de Espada à Cinta, ainda em total abandono e sem data prevista para a sua reconversão. De acordo com fontes oficiais da CM TM, este troço foi incluído no Road Book 2019 da Rede Nacional de Cicloturismo.

Sobre paulofski

Na bicicleta. Aquilo que hoje é a minha realidade e um benefício extraordinário, eu só aprendi aos 6 anos, para deixar aos 18 e voltar a ela para me aventurar aos 40. Aos poucos fui conquistando a afeição das amigas do ambiente e o resto, bem, o resto é paisagem e absorver todo o prazer que as minhas bicicletas me têm proporcionado.
Esta entrada foi publicada em o ciclo perfeiro com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

apenas pedalar ao nosso ritmo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s