bina!!!

Encostada no passeio da Rua Oliveira Monteiro

Um argumento fundamental para quem usa a bicicleta é proteger o planeta!

E perguntam: – Proteger o planeta de quem?

Ora, de gente iluminada que tem ideias como esta: Colocar um motor impulsionado a combustível fóssil numa bina!…

… Então e a Rosa, com apelido de Mota e que corria comó caraças!!!

Anúncios

Sobre paulofski

Na bicicleta. Aquilo que hoje é a minha realidade e um benefício extraordinário, eu só aprendi aos 6 anos, para deixar aos 18 e voltar a ela para me aventurar aos 40. Aos poucos fui conquistando a afeição das amigas do ambiente e o resto, bem, o resto é paisagem e absorver todo o prazer que as minhas bicicletas me têm proporcionado.
Esta entrada foi publicada em ele há coisas! com as etiquetas , , , . ligação permanente.

52 respostas a bina!!!

  1. Ainda por cima, isto é completamente ilegal. Com motor de combustão interna tem de estar matriculado, etc etc etc

    Gostar

  2. Niagara diz:

    Bem, tenho que sair em defesa da bina… 😉
    Primeiro, não tem que estar matriculada, a partir do momento em que seja uma bicicleta com motor auxiliar (e não uma bicicleta a motor – há uma diferença, entre cilindradas, potências e velocidades máximas admitidas).
    Segundo… há situações em que é de todo aceitável a utilização de uma bicicleta com motor auxiliar, não vou enunciá-las para não tornar isto demasiado extenso.
    Terceiro, o motor de combustão interna pode ser efectivamente uma boa solução. Se utilizado apenas como auxiliar nas subidas mais íngremes, podem-se fazer consumos inferiores a 1l/300Kmts. Não há comparação em termos de economia. A poluição também tem que ser avaliada em função do consumo, e sim, há motores deste tipo e com estas cilindradas (cerca de 35cc) a 4 tempos (muito mais eficientes e económicos do que os de 2 tempos, além de menos poluentes);
    Quarto, o motor de combustão interna apresenta uma vantagem comparativa muito interessante – o preço – face ao equivalente eléctrico, muitíssimo mais dispendioso. Se considerarmos o custo da troca das baterias (ao fim de uns 3 a 4 anos), e dependendo do tipo de utilização, o motor de combustão pode ser efectivamente uma solução financeiramente mais viável.
    Por último – e esta questão nunca é levantada – se ao motor eléctrico “limpo” somarmos toda a “pegada” necessária quer para a produção do motor em si, quer a necessária para a produção das baterias (ui ui) a solução eléctrica deixa de ser assim tão “limpa”.

    Gostar

  3. paulofski diz:

    A “Bina” é uma bicicleta, mas não é um velocípede. É um ciclomotor porque é dotado de 2 ou 3 rodas, com uma velocidade máxima, em patamar e por construção, não superior a 45 km/h, e cujo motor tenha cilindrada não superior a 50 cc, tratando-se de motor de combustão interna ou cuja potência máxima não exceda 4 kW, tratando-se de motor eléctrico.(Artigo 107º). Quanto à obrigatoriedade de matrícula a meu ver estes veículos estão mal regulamentados (Artigo 117º). Segundo dados que recolhi, o motor auxiliar desta bicicleta motorizada pode ter 39cc, outras 49cc (algumas até mais com um kit), podendo atingir uma velocidade máxima de 45 km/h e tem um consumo misto de +/-2L/100km.

    Caso a “Bina” seja mesmo uma bina movida a pedais (com o peso extra do motorzeco é uma asneira) tudo bem mas tendo um auxiliar ali à mão, o acelerador entra em acção e aquilo não passa de um foco de poluição atmosférica e sonora. Com o motor auxiliar de duas pernas, atingir os 45 km/h é bem possível, sem consumos excessivos nem poluição.

    Gostar

  4. Perdi uns segundos no google porque sabia que isto já tem sido muito debatido:

    Exmos Srs do IMTT
    Comprei um velocípede (vulgo: bicicleta) que tem um pequeno motor auxiliar de 39 cm3 a gasolina, e atinge uma velocidade máxima de 25 Km/h. (junto se anexa foto).
    Questões que coloquei:
    1-A condução de velocípedes com estas características na via pública é permitida (com a ressalva de auto-estradas, IPs e respectivos acessos, vias reservadas a automóveis e motociclos)?
    2-A condução deste velocípede está ou não sujeita a formação de condutor e à titularidade de documento que autorize o exercício da condução?
    3-Seguro e capacete é obrigatório?

    Aqui vai a resposta às questões que coloquei e que são muito claras.

    Transcrevo resposta do email:

    Exmo. Sr.

    Relativamente ao assunto exposto, informa-se que o veículo que refere não é passível de matriculação (não se pode atribuir uma matricula), pelo que o mesmo não pode circular na via pública, somente em pista afectas à circulação de velocípedes, dado que este veículo para efeito do código da Estrada (CE) é considerado um velocípede (embora possua motor auxiliar), igualmente conforme o CE não carece de habilitação legal para o conduzir.
    Por esta razão também não carece de seguro obrigatório ou capacete, embora seja aconselhável que o seu condutor possua um seguro de responsabilidade civil e quando conduz este veiculo um capacete próprio para velocípedes.

    Gostar

  5. paulofski diz:

    Sérgio, há aqui no entanto uma dúvida, para não dizer muita perplexidade da minha parte nessa resposta ou então o IMTT não percebeu a pergunta: Um velocípede não pode circular na via pública e somente em pistas afectas à circulação de velocípedes!!! Em que é que ficamos!?

    Gostar

  6. Anónimo diz:

    so sabem falar mal das binas! é cada otario! se ouve-se tantos carros como binas havia era menos poluição não mais!!

    Gostar

  7. paulofski diz:

    É tudo uma questão de binário xôr anónimo mas uma mota é uma mota, que tal como um carro, ouve-se e cheira-se ao longe. Permita-me que lhe corrija a frase “se houvesse tantas binas (sem motor a combustão interna) como carros haveria menos poluição não mais!!” Cumprimentos.

    Gostar

  8. Néné diz:

    Eu penso que quem a usa por motivo de deslocação para o trabalho está a ser um enorme amigo do ambiente. Usa o auxílio do motor para umas subidas mais complicadas, usa-o também para quando o vento não ajuda, evitando assim o chegar transpirado ao seu local de trabalho. Na minha opinião o uso de bicicletas com o sem motor auxiliar é sempre de louvar. Cumprimentos.

    Gostar

  9. paulofski diz:

    Com certeza que será Néné, nada contra. O uso de biciclétas electricas cumprem exemplarmente essa função, a de auxiliar a mobilidade sem poluição atmosférica e sonora. Cumprimentos.

    Gostar

  10. Néné diz:

    Relativamente à poluição sonora de acordo relativamente à atmosférica já coloco algumas dúvidas. Todos sabemos de como pilhas e baterias são inimigas do ambiente… Outro senão é a questão económica sendo as eléctricas bem mais caras que estas “binas”.

    Gostar

  11. paulofski diz:

    Se formos conscientes as pilhas e baterias são perfeitamente recicláveis. O mercado bicicletas eléctricas está a expandir-se e tem opões para vários preços, não necessáriamene caros. De todo o modo, como o motivo do post foi ironizar com o nome “Bina” dado a uma motorizada, pedalar uma bicicleta, ou bina como gosto lhe de chamar, é mais amigo do ambiente, mais económico, e beneficia a nossa saúde, mesmo com esforço e suor.

    Gostar

  12. Cláudio diz:

    Bina é o nome da marca de bicicletas, que por acaso também faz versões com motor.

    Como utilizador de bicicleta com motor eléctrico digo que opções baratas, como a de que eu disponho, não ajudam muito em subidas mais íngremes ou longas, daí que para não se dar muito mais dinheiro (tanto inicialmente como em manutenção de médio prazo, com as baterias) a opção do motor de explosão ou mesmo combustão é muito boa.
    Para se ter o mesmo resultado no mundo eléctrico temos de gastar o dobro ou mais de dinheiro inicialmente. Melhores veículos têm baterias mais caras e na hora de as trocar também será maior o custo…

    Quanto à poluição é tudo muito relativo, como já disseram o impacto ecológico das baterias, mesmo recicladas, é grande, assim como é grande o impacto ecológico da própria electricidade que em Portugal vem em grande parte de fontes fósseis.
    http://www.apren.pt/dadostecnicos/index.php?id=269&cat=266
    Em termos absolutos pode até ser mais poluente a versão eléctrica, mas eu não sei fazer essas contas (e também não será por isto que se decide). Pode-se louvar nas eléctricas o facto de ser possível usar fontes de energias renováveis (apesar de neste momento não ser assim, pela composição da produção de electricidade em Portugal) enquanto a gasolina será sempre não-renovável.
    Também temos de comparar com as alternativas que são normalmente usadas (carros e motas “a sério”), tão barulhentas e muito mais poluentes.

    Para deslocações ao trabalho a bicicleta com motor a gasolina (mistura) poderá ser mesmo o meu próximo veículo…

    bem haja

    Gostar

  13. victor pires diz:

    caros amigos
    eu tenho uma bina, circulo com ela numa cidade (Entroncamento )
    Alem de ser muito economica,é pouco poluente.
    queria dizer a esses iluminados que criticam as binas, ou é por inveja ou por má fé
    apenas um só avião polui mais que todas as binas do planeta,até a lareira que se acende em casa polui mais que centenas de binas,tanto se preocupam com o ambiente, e agarram-se a estes pretextos de cará-cá -cá
    ganhem juizo, e critiquem o que realmente polui o planeta
    acordai ! acordai ! acordai !

    Gostar

  14. paulofski diz:

    Meu amigo e caros visitantes, devo esclarecer que com este post mais não quis do que ironizar com o nome dado à máquina. Para mim, se a coisa tem pedais então estão lá para pedalar. A rotação das pernas tem certamente mais binário do que aquele cilindro. Qualquer outro propulsor adicional que não as pernas, de combustão fóssil ou de electrões, só trará preguiça ao utilizador e prejuízos ambientais, coisa que com uma bina, bicla ou bicicleta, não sucede. Tenho dito.

    Gostar

  15. paulofski diz:

    Devo contrapor e dizer-lhe que “Bina” é uma marca de bicicletas com motor adicional, não monta bicicletas tradicionais. Nem a propósito, ontem de visita à Velo Invicta estava lá uma “Bina” para reparação (cremalheira da transmissão do motor partida). Em conversa com o Barbosa (antigo vendedor desse tipo de veículos) garantiu-me que a empresa só monta bicicletas com motor e quase tudo material chinês. Em relação a bicicletas eléctricas, por 400€ já pode comprar uma fiável e potente e-bike.

    Gostar

  16. Cláudio diz:

    Erro meu de pensar que havia outros modelos de ‘binas’ sem motor. Tenho essa ideia por algum motivo, as minhas desculpas.
    Mas o mais importante é notar que quem usa este tipo de veículos não é para se divertir, mas sim como meio de transporte do dia-a-dia. Por muita força que se tenha não temos mais binário a pedal que a motor.
    E não é uma questão de preguiça, é uma questão de tornar possível o transporte de bicicleta num maior número de situações. A questão é trocar carros, autocarros e motas por bicicletas, nem que sejam auxiliadas e motor, e não uma comparação entre bicicletas com e sem motor.
    Eu gosto de ir de bicicleta para o trabalho, mas os meus colegas agradecem imenso que ela tenha motor, já que chego ainda bastante fresco ao destino. Se não pudesse andar auxiliado na bicicleta, continuaria a usar frequentemente o autocarro ou carro (talvez uma mota) e é esta mudança que deve contar.
    E já agora, bicicletas eléctricas de 400€ são muito giras, dão o seu jeito, mas de potentes não têm nada, não aguentam as subidas íngremes de uma cidade como o Porto (a minha é uma dessas, tenho a sorte de as piores subidas estarem no caminho de volta a casa, onde chego bem suado de dar ao pedal)

    Gostar

  17. Rui Samuel diz:

    E o que pensam de o IMTT estar a homologar uma bicicleta com motor auxiliar a combustão, a 2 tempos desde Julho de 2011 e ainda não ter definido se é velocípede ou ciclomotor ?

    Gostar

  18. carla diz:

    boa noite há aqui no entanto uma dúvida, para não dizer muita perplexidade da minha parte ou então o IMTT possa ajudar se eu fizer um seguro de responsabilidade civil para a minha bina posso cicular na via publica com ela ou nem por isso aguardo a resposta IMTT

    Gostar

  19. Chopper Bina Punisher Facebook diz:

    Pode-se anda de Bina sem problema, isso tenho certeza, subscrevo e informem-se! Alguém me diz se foi apreenda a bina!?? Pois, pois não! lol 😀 ..Os agentes falam muita coisa, mas a lei está do lado de quem as tem! Mas fica ao critério de cada um, não vale apenas discutir! blá..blá! Cumps!

    Gostar

  20. Rui Samuel diz:

    Trinta e quatro meses depois de solicitar a homologação de uma bicicleta com motor auxiliar (Xeus a 2 tempos) foi, por fim, deferida a minha solicitação. A minha “BINA” que não é Bina é um velocípede com motor auxiliar ao abrigo do Artigo 112 da Lei 72/2013 de 3 de Setembro. Sempre andei com ela, tem mais de 4400 Km feitos a poluir…

    Gostar

  21. Fabio diz:

    E preciso alguma carta de conducao para conduzir essa bicicleta motorizada?

    Gostar

  22. paulofski diz:

    Olá Fábio. Não, e que eu saiba também não é preciso carta de conducao para conduzir motorizadas até 125 cc.

    Gostar

  23. spacegrupo diz:

    Meu Caro, é sempre necessário carta ou licença de condução desde 50cc até 125cc, a não ser que esta pessoa tenha carta de condução de Automóveis Ligeiros e uma idade superior a 25 anos! Cumps!

    Gostar

  24. paulofski diz:

    …”a não ser que esta pessoa tenha carta de condução de Automóveis Ligeiros e uma idade superior a 25 anos”.

    Caríssimo. grato pela sua rectificação, faltou-me saber essa importante informação! É o que dá um encartado dar mais tempo ao pedal, Cumprimentos.

    Gostar

  25. spacegrupo diz:

    No caso da Bina, se não ultrapassar os 49cc não é necessário qualquer documento/licença de condução, a não ser o uso Obrigatório de capacete de preferência com homologado para ciclomotor e aconselhável um seguro de responsabilidade civil / Seguro velocípedes!

    Liked by 1 person

  26. joao cunha diz:

    Pois e um veiculo poluente, os animais sao como seres humanos por isso tambem devia ser proibido andar a caça oh amigo entao em que mundo voçe vive no mundo em que nao se pode apanhar rosas para oferecer a uma mulher porque esta a matar uma planta se fomos a ver entao ja que nao se pode fazer nada neste planeta mais vale nunca ter nascido .

    Gostar

  27. paulofski diz:

    amigo João Cunha, sabe, quando se colhe uma rosa não se mata a roseira… Olhe, caso queira volte sempre.

    Gostar

  28. Anónimo diz:

    Ola a todos que gostem das binas ou nao ! Tambem estou de acordode quem usa a bina nao sera para passear de bicicleta mas como utilitaria e acho bem , tenho bicicletas e scooter mas a bicicleta e mesmo para passear ou desporto disfrutar do pedal e muito bom. Mas o mais importante seria os xulos deste pais darem condiccoes para os ciclistas circularem nas estradas se realmente estao a pensar no planeta . e quando vao para os empregos deles a utilizar veiculos de alta cilindrada pagos por aqueles que eles estao sempre a apontar que andam a poluir e vao subindo os impostos que e para reduzir a poluicao eles tambem se poderiam deslocar para os empregos de bicicleta ou mesmo de bina como se faz noutros paises. E meus senhores usem a dita bina mas nao falem muito dela porque eles os atrasados mentais que temos a descomandar este pais ainda arranjam maneira de por os velocipedes com ou sem motor auxiliar a pagar impostos. Desculpem obrigado . J.C.F.

    Gostar

  29. julio diz:

    caros amigos
    pretendo comprar uma bina.. ja pedi informaçoes a GNR , e nao me sabem responder se é preciso ou nao serem estes velocipdes com motor auxiliar usarem ou nao a dita matricula. afinal em que ficamos?
    quem me pode responder se é ou nao preciso matricula , ou se existe o risco de ser apanhado pela brigada e ter tudo o que se segue ( multa , veiculo apreendido, tribunal etc.. agradecia uma resposta ..obg

    Gostar

  30. Anónimo diz:

    Depende da potencia declarada do motor, do controle de binário e das velocidades máximas atingidas. (p.f. ver “post” de 20 de Agosto…)

    Gostar

  31. Anónimo diz:

    obg meu caro pela resposta
    se bem entendo então ate 49,cc a lei permite isso ? ou tera de ser menos que essa cilindrada ?é que segundo tenho visto existem várias cilindradas só quero saber se a bina até aos ditos 49cc é exenta de matricula .ou qual documento seria necessário acaso uma brigada faça parar . Existe algum documento que se possa provar em como náo é necessário matricula? ou apenas uma cópia do artg: 112 do CE serve para apresentação ? espero resposta PFV : agradecendo a sua ajuda meu caro …. obg

    Gostar

  32. Rui Samuel diz:

    Procure-me no FB e envie mensagem privada, por favor.

    Gostar

  33. Boas, meu caro “Anónimo”….Eu consigo-lhe arranjar uma documento legal, para poder mostrar ás autoridades policiais, um documento que teve para mim um custo de 10€, mas consigolhe por 5€ com os seus dados pessoais! Este documento só é valido para as Binas, tipo bicicleta e tipo chopper! Contacte-me por email: lsaleloja@gmail.com …Cumps! 😉

    Gostar

  34. julio diz:

    caros amigos que passem por aqui agradecia se ouver alguém que me possa esclarecer ao sujeito das binas
    . Caro Rui Samuel deixei mgs no FACE
    caro Space Grupo deixei email como pediu
    mais uma x agradeço alguma informação que me possa ser útil
    obg .

    Gostar

  35. spacegrupo diz:

    É muito simples, quanto às autoridades policiais, pode simplesmente perguntar como é em relação às Originais e tradicionais “Solex” e “Mobiletes”(“…são legais e não requerem habilitação (carta), e a matricula! …mesmo que possua, deve retira-la, uso somente Obrigatório do capacete homologado para ciclomotores.”((Resposta: IMTT)) ??? A degislação aplica-se exactamente igual a uma tradicional bina de motor 2 tempos, 39,9cc, 49cc e em alguns casos 60cc ou 66cc! Podem pensar que os de 60cc e 66cc Originais, “são ilegais”, mas na verdade não o são, em termos de kW não ultrapassam os 2,5kW, ou seja teem um ganho em termos de força e não em velocidade ponta! 😉

    Gostar

  36. spacegrupo diz:

    Já me dedique muito tempo/horas/meses às binas, agora não tenho muito tempo nem espaço! A única coisa que perdura, mas meio pararada é a pagina do facebook: https://www.facebook.com/BicicletasBinaChopperCruiser

    Gostar

  37. tony diz:

    bondia a todos
    simples pergunta a qum poder responder ( pvf)
    1ª — as Binas, ou outra bicicleta com motor a gasolina ou electrico, sao ou nao obrigadas a ter matricula ?
    2ª —- mobilettes , solex e outos antigos ( ciclomotores ) a pedais sao ou nao obrigados a ter matricula ?
    3ª — se alguem poder responder , ou se tem algum documento oficial do IMTT comprovando o sim ou nao de usar matricula , agradecia que respondessem. ( obg ) ou entao me informarem , onde poderei obter essa informação .
    4ª —- Já fiz estas mesmas perguntas a agentes da GNR, mas nenhum me soube dar uma resposta concreta : ou seja … uns dizem que é obrigatório . outros dizem que não ..
    Encontrei este Blogo estes dias como aqui se falou muito a esse respeito e agora nada se diz, fico na duvida de tudo . PVF .. algém me responda . Precisava mesmo de obter um veiculo desses devida a uma situação de saude: ( pedalar para fazer exercicio .. e quando cansado poder chegar a casa . ) andar a pé ou pedalar , causa DEFICIENCIA CARDIACA
    OBG .

    Gostar

  38. spacegrupo diz:

    Boas, desde já compreendo a sua situação de saúde, e desejo-lhe as melhoras! Na sua situação aconselhava-lhe uma electrica, pelo simples fato de ser mais eficiente e fiável! Os veiculos motorizados de combustão, tem tendencia a dar alguns problemas, Na sua situação fisica não é boa opção!
    No entanto, quanto às binas eu posso lhe arranjar um documento(lsaleloja@gmail.com), veiculos com 2 a 3 rodas e c/ pedais incorporados não necessita de matricula (se a tiver a antiga, deve retirar e circular sem ela), seja ela eléctrica ou a gasolina não superior a 2,5kw (o uso da mesma não convém exceder uma velocidade de max. 35km/h), nomeadamente as binas, solex, mobiletes, etc (São permitidas por lei, e podem circular na via publica, sendo Obrigatorio o uso do capacete homologado para ciclomotores, se possível (não Obrigatório) seguro de responsabilidade civil (ou seguro de bicicletas)!

    Gostar

  39. Ulisses Fernandes diz:

    Caro Spacegrupo!
    Tenho uma Mobilete da Motobecane é uma Peugeot 103. Será possível ceder-me cópia do documento que as isenta de registo e matrícula?

    Cumps,
    Ulisses

    Gostar

  40. tony diz:

    Caro amigo Spacegrupo : enviei um mail o dia mesmo que li sua mgs :
    Queira confirmar PVF
    OBG
    Cumps S.M.

    Gostar

  41. Anónimo diz:

    Com o decorrer do tempo talvez essas burocracias tenham sido abulidas,coisa estranha no nosso Pais.No entanto recordo que sou do tempo em que era obrigatorio ir a CM da residencia,dizer meia duzia de sinais para se obter a dita licenca para veiculos sem motor,assim como a respetiva matricula exp: 1-PNF. Assim era usado o mesmo procedimento,para os veiculos c/motor auxiliar.Estou ausente ha muitos anos vi a bina e em Agosto se Deus quiser vou comprar uma,para me acompanhar na minha reforma.Era o que os nossos desgovernantes deveriam fazer para dar o exemplo.

    Gostar

  42. Anónimo diz:

    Ola amigos!
    Sera que me podem informar,onde posso comprar na zona do Porto uma bina nova de fabrica?
    Obrigada.

    Gostar

  43. vitor diz:

    Muito boa noite a todos , estive aqui e agora a ler todos estes comentários sobre ´´BINAS“e gostava de expressar alguns comentários se me dão licença;moro na margem sul do tejo na cidade do Barreiro e felizmente trabalho(nos dias que correrem) no concelho de Palmela num armazém de ferro(a dar no duro) durante 8 horas diárias ate aqui tudo normal!!!certo???tinha e tenho uma viatura Citroen sxara break de 2004 que ate consumia pouco …mas sempre era €120 ou mais por mês em gasolio ,que muita falta me faz para encher o raio da dispensa e arca congeladora ,a distancia é mais ou menos de 25km ida e volta casa ao trabalho ,e agora faço €6 e pouco consoante a oscilação da gasolina 95 por semana (8 dias) numa BINA com o dito MOTOR sempre a bombar nas calmas e a sentir e ver a paisagem,tenho vários e sérios problemas de saúde ,desde uma rotula na anca a desfazer ce e uma estúpida de uma hérnia discal (nem bicicleta posso andar ,só chapinhar numa piscina com jovens de 80 anos),mal de mim senão tivesse esta bina ,perguntei aqui a PSP (transito) o que era necessário para poder andar na mesma….resposta dada: absolutamente nada cabe lhe a si e ao seu senso comum usar um simples capacete de ciclista e um colete reflector se andar de noite não precisa de carta alguma nem de seguro …isto foi o que me foi dito e depois num aparte disse me assim mas não se vá habituando pois mais dia menos dias eles(estado) aparecem com alguma lei para sacar mais uns €…..e mais vós digo no passado dia 8 deste mês de Agosto fiz 470km +- fui ate ao Santuário de Fátima via Golegã e vim por Santarém tudo estradas nacionais e municipais passei a deslizar por patrulhas da GNR e nenhuma me mandou parar ,por isto e por muito mais coisas eu vós digo a todos …AINDA BEM QUE COMPREI A MINHA BINA,comprimentos e saúde e boas pedaladas a todos …..(BINEIROS DO ASFALTO ) FACEBOOK

    Gostar

  44. rUI sAMUEL diz:

    Disposições especiais para motociclos, ciclomotores e velocípedes
    SECÇÃO I
    Regras especiais
    Artigo 90.º
    Regras de condução
    1 – Sem prejuízo do disposto no n.º 2, os condutores de motociclos, ciclomotores ou velocípedes não podem:
    aa) Conduzir com as mãos fora do guiador, salvo para assinalar qualquer manobra;
    bb) Seguir com os pés fora dos pedais ou apoios;
    cc) Fazer-se rebocar;
    dd) Levantar a roda da frente ou de trás no arranque ou em circulação;
    ee) Seguir a par, salvo se transitarem em pista especial e não causarem perigo ou embaraço
    para o trânsito.
    2 – Os velocípedes podem circular paralelamente numa via, exceto em vias com reduzida
    visibilidade ou sempre que exista intensidade de trânsito, desde que não circulem em paralelo
    mais que dois velocípedes e tal não cause perigo ou embaraço ao trânsito.
    3 – Os condutores de velocípedes devem transitar pelo lado direito da via de trânsito, onservando
    das bermas ou passeios uma distância suficiente que permita evitar acidentes.
    4 – Quem infringir o disposto nos números anteriores é sancionado com coima de € 60 a
    € 300, salvo se se tratar de condutor de velocípede, caso em que a coima é de € 30 a € 150.
    SECÇÃO II
    Transporte de passageiros e de carga
    Artigo 91.º
    Transporte de passageiros
    1 – Nos motociclos, triciclos, quadriciclos e ciclomotores é proibido o transporte de passageiros
    de idade inferior a 7 anos, salvo tratando-se de veículos providos de caixa rígida não destinada
    apenas ao transporte de carga.
    2 – Os velocípedes só podem transportar o respetivo condutor, salvo se:
    aa) Forem dotados de mais de um par de pedais capaz de acionar o veículo em simultâneo,
    caso em que o número máximo de pessoas a transportar corresponde ao número de pares de
    pedais e em que cada pessoa transportada deve ter a possibilidade de acionar em exclusivo um
    par de pedais;
    bb) Forem concebidos, por construção, com assentos para passageiros, caso em que, além do
    condutor, podem transportar um ou dois passageiros, consoante o número daqueles assentos;
    cc) Se tratar do transporte de crianças com idade inferior a 7 anos, em dispositivos
    especialmente adaptados para o efeito.
    3 – Nos velocípedes a que se refere a alínea b) do número anterior, deve ser garantida
    proteção eficaz das mãos, dos pés e das costas dos passageiros.
    4 – Quem infringir o disposto nos números anteriores é sancionado com coima de € 60
    a € 300.
    Artigo 92.º
    Transporte de carga
    1 – O transporte de carga em motociclo, triciclo, quadriciclo, ciclomotor ou velocípede só
    pode fazer-se em reboque ou caixa de carga.
    2 – É proibido aos condutores e passageiros dos veículos referidos no número anterior
    transportar objetos suscetíveis de prejudicar a condução ou constituir perigo para a segurança
    das pessoas e das coisas ou embaraço para o trânsito.
    3 – Quem infringir o disposto nos números anteriores é sancionado com coima de € 60 a
    € 300.
    SECÇÃO III
    Iluminação
    Artigo 93.º
    Utilização das luzes
    1 – (Revogado.)
    2 – Sem prejuízo do disposto nos artigos 59.º e 60.º e no n.º 1 do artigo 61.º, os condutores dos
    motociclos, triciclos, quadriciclos e ciclomotores devem transitar com as luzes de cruzamento para a frente e de presença à retaguarda acesas.
    3 – Sempre que, nos termos do artigo 61.º, seja obrigatório o uso de dispositivo de iluminação,
    os velocípedes só podem circular com utilização dos dispositivos que, para o efeito, forem fixados em regulamento.
    4 – Quem infringir o disposto nos números anteriores é sancionado com coima de € 60 a
    € 300, salvo se se tratar de condutor de velocípede, caso em que a coima é de € 30 a € 150.
    Artigo 94.º
    Avaria nas luzes
    1 – Em caso de avaria nas luzes de motociclos, triciclos, quadriciclos e ciclomotores é aplicável,
    com as necessárias adaptações, o disposto no artigo 62.º
    2 – Em caso de avaria nas luzes, os velocípedes devem ser conduzidos à mão.
    3 – Quem infringir o disposto no n.º 2 é sancionado com coima de € 30 a € 150.
    Artigo 95.º
    Sinalização de perigo
    É aplicável aos motociclos, triciclos, quadriciclos e ciclomotores, quando estejam munidos de luzes de mudança de direção, o disposto no artigo 63.º, com as necessárias adaptações.
    SECÇÃO IV
    Sanções aplicáveis a condutores de velocípedes
    Artigo 96.º
    Remissão
    As coimas previstas no presente Código são reduzidas para metade nos seus limites mínimo
    e máximo quando aplicáveis aos condutores de velocípedes, salvo quando se trate de coimas
    especificamente fixadas para estes condutores…

    Gostar

  45. Artur diz:

    boas a todos..
    É pena que este blogue deixou de ter vizitas , para darem imformaçoes a todas as pessoas que utilizam as BINAS.
    Finalmente tanta coisa se tem dito , e ninguém sabe ao certo que documento faz falta ou nao, para poderem circular nas ditas BINAS , que dao um excelente apoio , a quem tem de ir trabalhar ( nao muito longe de casa ) , sem ter de investir em combustiveis , uma parte do seu magro salario, que a classe trabalhadora ganha no dia a dia.
    Dizem que as Binas sao polição: entao que diremos nós trabalhadores , desses (PACHÁS ) que circulam em altas cilindradas sem sequer saberem o preço do que gastam , nem se imcomudarem com os preços incertos dos combustiveis actualmente.
    Deixo aqui um apelo : Se Porventura algum Agente da Autoridade de Transito : algum Funcionário do IMTT.; ou alguém conhecedor desse famosso Artigo 112 , que nao expecifica bem o seu conteúdo ; que nos informe a nós ciclistas de BINAS , o que se deve fazer, onde se pode informar , ou qual documento é necessário para circular nas mesmas , sem que tenhamos mais o coração aos salto de no virar duma curva encontrar uma patrulha a fazer paragem , para incomodar o pobre trabalhador , dizendo que tem o veiculo ( confiscado . e uma coima que pode ir ate aos 1500e por falta da cuja Matricula : Pela mesma , aproveito a chamar atenção ( algum desses Senhores entendidos na Matéria ,que se existe um documento oficial em como podemos circular libremente ( respeitando o CE ) que deixe uma prova de boa fé por escrito , neste Blogue , para os Binários possam fazer uma cópia para mostrar a uma eventual operação STOP pelas Brigadas de Transito.
    Todos os Binários ficam agradecidos tenho a certeza dessa boa vontade de alguém que nos possa ajudar.
    esperamos resposta :
    obg
    cumps

    Gostar

  46. Anónimo diz:

    Boas amigo. Artur …olha tanto quanto. Eu sei nao e necessário nada pois 1 as binas nao tem numero de quadro e muito menos numero de motor …isto sei eu,e preguntei a um policia da secção. De trnsito aqui da esquadra do Barreiro que como sendo um VELOCÍPEDE. Com um motor auxiliar de baixo kw ,so temos de usar o capacete e se circular de noite um colete para sermos vistos,alem de reflectores nas rodas (1) em cada.
    Isto foi o que me foi dito…E É. O QUE EU FAÇO PARA ME DESLOCAR (24km) DIARIAMENTE PARA IR TRABALHAR…..há e andar sempre com o BI ou o CC eo comprovativo de compra.
    Abraço amigo Artur e boas estradas…..

    Gostar

  47. Artur diz:

    Fico grato pela informação caro Anónimo : eu cotinuo a binar , mesmo sempre atento a desligar o motor e a pedalar , á minima vista duma brigada
    Mais uma x fico grato .. obg
    cmps: …. Artur

    Gostar

  48. BRISA DO ASFALTO diz:

    49cc 4 tempos é o meu motor de bicicleta de eleição,forte em baixas rotações, economico (70 km com 1lt de gasolina),limpo,não aquece como o 2t (parar a cada meia hora de aceleração ) duradouro,enfim vivas as binas e todas as bicicletas que tanto jeito nos dão. Pena que tenha de vir dos EUA,pois cá não se comercializa este tipo de motor 4t apenas o 2t.Isto de ser coisas do 😈!

    Gostar

  49. Donaldo Carreiro diz:

    Bom dia. Quem ler o artigo 112 com atenção verá que só e legal os motores electricos até 0,25 KW. Portanto como é possível circular com veiculos com 2,5Kw valor igual a qualquer ciclomotor.

    Donaldo Carreiro

    Gostar

  50. Rui Samuel Costa Martins diz:

    São legais quaisquer motores (não só eléctricos). Mas o melhor ainda é pedir a homologação numa qualquer delegação do IMT.

    Gostar

  51. Anónimo diz:

    Há ai um mal entendido! as binas são 0,25kw, provável ter esquecido do “0”! Mais, algem tem conhecimento de alguma bina q foi apreendida, pelas autoridades?? Não!!!! Tá tudo explicado! Pode-se falar muita coisa! Mas, não podem apreender a bina! cumps

    Gostar

  52. spacegrupo diz:

    Boas, digam o que disserem e falem o falarem! Não passa de mitos, no concreto não existe lei especifica para estes velocípedes, com muitos se nãos, e dúvidas do entendimento do Português escrito no decreto de lei n112!
    Eu tenho a solução e o documento, e já resolvi o problema a muitos utilizadores de binas! Autoridades de bico calado até a alteração da lei, o q para já nada alterado!

    Gostar

apenas pedalar ao nosso ritmo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s