para quando tiver falta de ar


Um simples passeio de bicicleta pode rapidamente tornar-se num simples passeio a pé com a bicicleta, se algum dos pneus resolver furar. E uma das razões porque furam os pneus é  por circularem com frequência sem a pressão aconselhada.

Pneus mais cheios:

  • furam menos.
  • têm menor resistência à rodagem (requerem menos esforço do ciclista).
  • fazem a bicicleta ficar mais sensível a imperfeições do terreno, causando trepidações.

Pneus mais vazios:

  • furam mais.
  • têm maior resistência à rodagem (requerem mais esforço do ciclista).
  • oferecem mais tracção e segurança em terrenos acidentados.
  • amortecem os impactos.

Com um kit de prevenção e alguns conhecimentos práticos como remendar a borrachinha, rapidamente podemos retomar o passeio, no entanto nem sempre estamos precavidos porque não levamos na bicicleta uma bomba de ar para calibrar os pneus. Então, o que fazer quando temos de encher um pneu e não temos bomba de ar? Muitos ciclistas utilizam os calibradores dos postos de gasolina. Estes compressores foram feitos para encher com rapidez pneus de maior calibre. A maior pressão e o fluxo rápido de ar insuflado para dentro da câmara de ar podem causar algum dano à câmara e aos pneus da bicicleta. Mesmo assim, em caso de emergência, podem ser usados e permitir ao ciclista voltar à estrada com um outro ar, mas é sempre conveniente ter em conta alguns cuidados:

Logo à partida verificar se a localização da máquina calibradora no posto de gasolina é segura. Assegurar-se qual a pressão máxima do pneu, inscrita na borda do pneu. Sabemos que quanto menor for o volume de ar do pneu, maior deve ser a sua pressão, por isso, não se assuste com as altas pressões usadas em pneus de bicicleta: pneus de montanha usam a partir de 40 psi e bicicletas de estrada usam entre 100 e 120 psi, enquanto um pneu de carro usa em torno de 25-30 psi). Portanto deve regular a calibradora para uma pressão ligeiramente inferior à pressão máxima recomendada (nunca correr o risco de encher demasiado o pneu).

Remover as tampas de plástico roscadas nas válvulas da câmara. Antes de fixar a mangueira de ar à válvula, dar-lhe umas rajadas de ar para limpar todos os detritos, óleo ou água que possa estar alojado. Ao contrário de algumas bombas de bicicleta, a mangueira de ar da estação não tem nenhum mecanismo de bloqueio, exigindo-lhe segurar a bomba na válvula para manter uma pressão constante. Anexar a cabeça da bomba à válvula do pneu, deixar encher e aguardar o aviso sonoro da calibradora. Depois é só inverter os passos.

Existem dois tipos de válvulas de uso comum para pneus de bicicleta:

  • Válvulas Schrader são as mesmas válvulas utilizadas nos pneus dos automóveis e são também as mais comuns nos aros das bicicletas. Como tal, é possível enchê-los nos postos de combustível. No centro da abertura da válvula há um pequeno pino que será empurrado para empurrar o núcleo e permitir entrar o ar ou para o deixar sair.
  •  As válvulas Presta são de menor diâmetro que as Schrader, o que faz delas um pouco mais leves e permitem no aro um furo menor (desejável para aros muito estreitos). Estas válvulas são usadas na maioria das bicicletas de estrada e alto desempenho. Os “caules” podem ter diversos comprimentos, dependendo da profundidade das jantes. A mola tem uma porca cativa roscada para manter o pino apertado. Antes de bombear uma válvula Presta, deve-se desapertar essa porca. Ao encher com uma bomba de mão deve ter cuidado para não forçar a válvula lateralmente com a bomba, pois o pino da válvula Presta parte com facilidade. No final deve apertar bem a porca da válvula para o ar não escapar. A forma mais correcta e segura de encher pneus de estrada é com uma bomba manual, com ou sem manómetro (pressionar o pneu com os dedos para se assegurar da pressão). Os calibradores dos postos devem ser usados apenas em emergências, o que para uma válvula Presta só é possível com adaptador (ver na imagem).

Com a cultura da bicicleta como meio de transporte, tornando-se mote para investimentos em infra-estruturas urbanas ciclóviárias, em alguns locais do mundo brotam ideias para complementar e facilitar o percurso feito por quem opta por este meio ecológico e saudável que é de transitar pela cidade a pedais. Os senhores Woon-kyeong e Kim Jong-buem, lançaram mão à ideia e idealizaram incorporar às ciclovias uma solução para o problema que todo ciclista enfrenta de quando em vez.

A Air Station, ou estação de ar, é montada na berma ao lado da via exclusiva às bicicletas, e claramente identificada para que seja visível mesmo de noite. Instalada a distâncias razoáveis ao longo das ciclovias qualquer ciclista poderá utilizar a Air Station para calibrar os pneus.

Enquanto essa engenhoca não surgir por cá e não tiver uma bomba à mão, bora lá aproveitar os ares da estação de serviço mais próxima.

Anúncios

Sobre paulofski

Na bicicleta. Aquilo que hoje é a minha realidade e um benefício extraordinário, eu só aprendi aos 6 anos, para deixar aos 18 e voltar a ela para me aventurar aos 40. Aos poucos fui conquistando a afeição das amigas do ambiente e o resto, bem, o resto é paisagem e absorver todo o prazer que as minhas bicicletas me têm proporcionado.
Esta entrada foi publicada em divulgação com as etiquetas , . ligação permanente.

Uma resposta a para quando tiver falta de ar

  1. A minha BTwin RR 320 nao enche mais do que 3.9/4.0 nas bombas de serviço que experimentei. Indica no pneu que o máximo de pressão e 4.5.
    Não devia encher mais? Eu sou pesado e o pneu de traz devia estar um pouco mais cheio para o meu peso (90kgs).

    Gostar

apenas pedalar ao nosso ritmo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s