as minhas férias

FériasNos meus tempos de escola primária, toda vez que voltava à sala de aulas a profe pedia que fizéssemos uma redacção composição: “As Minhas Férias”. Sim meus amigos, ainda sou do tempo em que se chamava composição ao texto escrito, saído da nossa cabeçinha. Quando a gente, e essa gente era eu e o meu irmão, eramos expatriados pelos nossos pais para aldeia dos avós, e era óptimo: acordávamos com as galinhas, nos aventurávamos pelos campos, subíamos às árvores para catar frutas, nadávamos nas águas límpidas do rio e voltávamos todos sujos, felizes com muita coisa para contar. Ou quando o agregado familiar partia em viagem com a casa às costas, por esses caminhos de Portugal no nosso Fiat 127,  era uma vida de cigano: acordar tarde,  ir para a praia e voltar torrado do sol, passar a tarde sem muito que fazer (não havia televisão, quanto mais…!). E assim o tempo se ia passando e as férias escolares rendiam, pois naquele tempo perduravam por mais de três meses.

Este relambório todo só para dizer que não há férias mais tranquilas, agradáveis e baratuchas que as de Setembro, e as minhas três semaninhas de “folga” já se acabaram. Estou mesmo tranquilo… a sério! A primeira manhã de trabalho está a terminar e nem dei pelo tempo passar! Concluindo a minha composição, curti bastantes dias de sol e de chuva, de muita chuva. As minhas bicicletas me carregaram por vários lados: Aproveitei a magia das manhãs, recordei alguns lugares marcantes (Aveiro, Régua, Lamego…), conheci novas vias cicláveis, novas paragens, até dei um salto à Galiza para ver passar a Vuelta! Ir para fora cá dentro é o que está a dar, e de preferência a pedalar.

a magia das manhãs do Porto

Respirar magia nas manhãs do Porto…

ir com amigos à pesca na ria de Aveiro

pescaria com amigos na ria de Aveiro…

a solo numa volta à chuva pela Régua

a solo numa voltinha à chuva pela Régua…

esperar pelo pelotón da Vuelta algures na Galiza

algures na Galiza vi passar o pelotón da Vuelta…

com amigos explorar novos caminhos

e com o amigo Jacinto me embrenhei na natureza pela ecopista do Minho.

Anúncios

Sobre paulofski

Na bicicleta. Aquilo que hoje é a minha realidade e um benefício extraordinário, eu só aprendi aos 6 anos, para deixar aos 18 e voltar a ela para me aventurar aos 40. Aos poucos fui conquistando a afeição das amigas do ambiente e o resto, bem, o resto é paisagem e absorver todo o prazer que as minhas bicicletas me têm proporcionado.
Esta entrada foi publicada em marcas do selim com as etiquetas , , , , , , , . ligação permanente.

2 respostas a as minhas férias

  1. o que é bom tem tendência a acabar… mas virão outras! 🙂

    Liked by 1 person

  2. Pingback: em jeito de balanço | na bicicleta

apenas pedalar ao nosso ritmo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s