a Massa é Crítica há 20 anos

Em Setembro de 1992, há vinte anos portantos, algures nas ruas de São Francisco uns tones juntaram-se para um acto de celebração. Pedalar e reclamar o progresso da bicicleta como meio de transporte urbano. No início era um movimento ecológico e o grupo pensou que isso poderia ser um estilo de vida. Podiam mostrar às pessoas que a bicicleta pode fazer as mesmas coisas que um carro. A partir daí, esse movimento foi-se generalizando, e desde então começou a acontecer mensalmente na última sexta-feira. Foi uma inspiração significativa para muitas outras pessoas, residentes noutras cidades e que deram o click definitivo para muitas iniciativas públicas e privadas sobre o ciclismo urbano. Actualmente estima-se que ocorra em mais de 320 cidades pelo mundo. O movimento tem sido caracterizado como um evento de protesto, mas visa fundamentalmente sensibilizar a sociedade para as questões da poluição, as dificuldades de mobilidade, as contrariedades que os ciclistas enfrentam quando partilham as ruas e estradas com os automóveis, a promoção do uso da bicicleta como um meio mais saudável de transporte.

À “coincidência organizada” deram o nome de Critical Mass, situação comum verificada na China em que, por exemplo, quando um ciclista pretende atravessar um cruzamento para seguir o seu caminho, espera que se junte a ele um grupo numeroso de outros ciclistas que queiram ir no mesmo sentido para então dar continuidade à circulação. Massa Critica é, ao fim e ao cabo, uma celebração da mobilidade suave que permite às pessoas que se deslocam de bicicleta, patins, skate, trotinete, etc, circularem com mais segurança e facilidade, marcando presença no espaço público, a rua, e tornando-se visível pelo número e densidade da concentração. Não tem estrutura formal ou organização. Alguns dos seus membros não veem a sua participação como mera forma de protesto, mas com uma mensagem mais profunda, cultural ou artística. Apresentam-se como apaixonados pelas bicicletas, para reunir uns tipos porreiros que querem conviver e pedalar.

Para lá das motivações pessoais de cada participante, o objectivo da Massa Crítica é fazer um ciclismo responsável, cívico e pacífico. Fazer-se notar positivamente, não prejudicando a sua causa. O que quer que qualquer um pense deste movimento social, os participantes têm o direito de ser livres, pedalar em segurança nos espaços públicos, tornar esta forma de expressão numa excelente forma de iniciação à utilização de veículos suaves em espaço urbano. A Internet foi, e é, uma ferramenta muito importante para o crescimento do movimento nas grandes cidades. Artigos, publicações vídeos e fotografias, são ferramentas de motivação e que ajudam a espalhar a ideia. A informação sobre os passeios mensais nas redes sociais e em grupos de conversação promoveram o crescimento e importância do evento. Em Janeiro do ano passado eu descobri a Bicicletada do Porto e me juntei ao grupo, pequeno à época mas felizmente cada vez maior.

Os passeios muitas vezes não têm rota pré-definida. O maralhal segue quem vai à frente. Outras vezes, um consenso espontâneo determina a rota, e a informação é divulgada no momento de saída sobre o percurso escolhido. A informalidade de tais eventos não exige um aviso prévio às forças policiais. Seja em Nova York, em Londres ou em São Paulo, tem havido repressão policial contra o movimento, no entanto o número de participantes continua a crescer substancialmente. O principal é ter prazer no que se está a fazer. Aproveitar que estamos a andar de bicicleta, de regresso a casa depois do trabalho, e chamar os amigos. Não se pode pensar que o movimento é feito apenas para protestar, é sobretudo para motivar e trazer mais pessoas à causa, para se conhecerem, para realizarem uma actividade que proporciona prazer. Quando vemos que mais gente está a aderir, sabemos que é mais uma etapa que a nossa cidade está a vencer. A partir do facto que pessoas comuns fazem uso das suas bicicletas para se movimentar, não há como negar o efeito positivo que a bicicleta oferece e a forma como a sociedade vê os ciclistas.

Nesta sexta vamos celebrar, a Massa Crítica faz vinte aninhos. Como é tradição, realiza a sua pedalada mensal às 18h30, no Porto desde a Praça dos Leões, e o grupo sairá às 19h. Todos estão convidados! Ninguém está ao comando! Traz a tua bicicleta!

posters de Jim Swanson e Mona Caron (sfcriticalmass.org)

Anúncios

Sobre paulofski

Na bicicleta. Aquilo que hoje é a minha realidade e um benefício extraordinário, eu só aprendi aos 6 anos, para deixar aos 18 e voltar a ela para me aventurar aos 40. Aos poucos fui conquistando a afeição das amigas do ambiente e o resto, bem, o resto é paisagem e absorver todo o prazer que as minhas bicicletas me têm proporcionado.
Esta entrada foi publicada em o ciclo perfeiro com as etiquetas , , , , , , , . ligação permanente.

Uma resposta a a Massa é Crítica há 20 anos

  1. Pingback: stcp, isto é, Só Tentamos Concluir Passagem | na bicicleta

apenas pedalar ao nosso ritmo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s