mobilidade que contagia

Assim que vi este cartaz no metro pensei cá com os meus botões: “olha pá, chegas atrasado 30 anos”. No tempo em que eu calcorreava Fânzeres e Rio Tinto, de casa para o colégio na camioneta da Gondomarense e do colégio para casa de autocarro e troleicarro, ou então era assim, fazia longas caminhadas, entre aventuras e coisas de rapaz, só para poupar umas moedas para gulodices. Nesse tempo é que o metro me teria dado jeito, pensei eu! Bom, é certo que agora também me dá, e que jeito, só que a viagem é na direcção oposta. A finalidade da mobilidade, de um sistema de transportes eficaz nas cidades, é a movimentação de pessoas e não de veículos. É sempre bom saber que a mobilidade urbana se está a expandir para um dos concelhos mais populosos da área metropolitana e muito deficitado em meios de transporte.

Segundo a Metro do Porto, ao longo de cerca de 60 quilómetros de extensão da rede, nestes oito anos o metro transportou 275 milhões de passageiros e percorreu cerca de 32,7 milhões de quilómetros, o que corresponde a 2.500 voltas ao diâmetro da Terra. A nova Linha Laranja (Linha F), a sexta linha do Metro do Porto é inaugurada e entra em operação comercial regular no próximo Domingo, dia 2 de Janeiro, ligando O Estádio do Dragão a Fânzeres e passando a servir o concelho de Gondomar mas, conforme se previa, não chega ainda à sede do concelho. Com o novo percurso, que representa um investimento de 135 milhões de euros, a Metro do Porto totaliza 80 estações ao longo de 67 quilómetros de linhas. As estimativas indicam que a Linha Laranja implicará mais de 12 milhões de passageiros por quilómetro, apontando benefícios sociais e ambientais na ordem dos 176 milhões de euros, ao longo de 20 anos.

Durante esta semana, entre o Natal e o Ano Novo, as viagens são gratuitas nos sete quilómetros de extensão e visam permitir à população das zonas servidas pela nova linha um primeiro contacto com o metro. As composições circulam sobre um tapete de relva, projectado pelo arquitecto Bernardo Távora, tendo sido criados 123 mil metros quadrados de zonas verdes. Estão a ser plantadas 2241 árvores e 3693 arbustos e trepadeiras ao longo da nova linha. O objectivo é sempre aumentar a qualidade de vida e a mobilidade de toda a população da zona envolvente. Hoje mesmo vou experimentar esta nova linha e voltar a calcorrear alguns dos locais da minha infância. E muito provavelmente, um destes dias voltarei lá com mais calma a passear na minha bicla.

 

 

Sobre paulofski

Na bicicleta. Aquilo que hoje é a minha realidade e um benefício extraordinário, eu só aprendi aos 6 anos, para deixar aos 18 e voltar a ela para me aventurar aos 40. Aos poucos fui conquistando a afeição das amigas do ambiente e o resto, bem, o resto é paisagem e absorver todo o prazer que as minhas bicicletas me têm proporcionado.
Esta entrada foi publicada em Metro com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

9 respostas a mobilidade que contagia

  1. laura diz:

    >Ai, ai e aiiiiiiii já estive aqui, a maquineta não tugia nem mugia, escrevi escrevi e ..foi tudo ao ar. O meu pc anda tolo, deve ter falta de passear de metro…Só andei no metro em Lisboa desde Picoas até Odivelas e vice versa, é bom para quem trabalha. E o que mais gosto é de ver os caminhos à superfície cheios de jardins e flores, casas bem cuidadas com as traseiras limpas que quando vou aí de comboio, é cada uma cheia de lixo os quintais feios, mete dó…Gosteid e ver a tua Etielbina, tadinha, mas a Gorka já é outra louça, são os tempos…Muitos beijinhos e apertadinho abraço para o novo 2011.Laura

    Gostar

  2. laura diz:

    >A estrear o teu metro…só andei em Lisboa e muitas vezes quando lá ia ter com uma amiga que mora em Odivelas.É bom pois poua carros, estradas e gasolinas e o bolso do pessoal, mas que faz bem a quem trabalha e não precisa de pagar o estacionamento .Adoro andar de cicla mas já não tenho, e aqui nos passeios é preciso muita ginástica pra na atropela ro freguês…vai tudo à frente.beijinho da laura que deseja Bom Ano e belos dias ao longo dele.

    Gostar

  3. Teté diz:

    >Queres acreditar que mal conheço o metro de Lisboa? Quando era miúda andava com frequência, mas depois sempre que lá entrava começava a sentir falta de ar (sou um bocado claustrofóbica), durante anos não voltei a andar. Este ano, andei 3 vezes, mas facto é que já não se parece às sardinhas em lata de outrora… :)))Enfim, ando a pensar fazer uma "excursão" de metro para conhecer as muitas novas estações. Deixei de andar quando ele terminava em Alvalade… :DObviamente, também nunca entrei no do Porto!

    Gostar

  4. redonda diz:

    >Engraçado o início deste post, porque morei em Gondomar dos 6 aos 12 e andei nos tróleis e nas camionetas da Gondomarense, por isso pode ser que nos tenhamos cruzado nessa altura :)Quando estudei em Lisboa gostei de andar de Metro (rápido e interessante quando ia para sítios que não conhecia). Desde que chegou ao Porto tenho andado muito pouco, mas gosto do de superfície.E se entretanto não voltar a passar por aqui, vou já desejar um óptimo 2011.um beijinhoGábi

    Gostar

  5. paulofski diz:

    >Beijinho Laurinha. Olha, quando cá voltares ao Porto, saindo em Campanhã ou em S.Bento, tens uma linha de metro à disposição para te levar a passear a qualquer lado e ver coisas bonitas. E se chegares de avião ele também te vai buscar ao Aeroporto. O nosso metro é uma simpatia, fora alguns utentes que não sabem o que é isso!Até pró ano se não for antes. Feliz 2011

    Gostar

  6. paulofski diz:

    >Teté, eu já circulei no metro de Lisboa, em várias linhas entre a estação do Oriente e Sete-Rios /Jardim Zoológico. Gostei do serviço, mobilidade e preços, mas desgostei de algumas estações a necessitarem de um lifting, ahhh… e alguma pedinchisse dentro das carruagens! O metro do Porto tem algumas linhas subterrâneas mas a maior parte é à superfície, a mais bela com uma vista deslumbrante para o rio quando passa na ponte D. Luiz I.

    Gostar

  7. paulofski diz:

    >Até pode ser que sim Gábi, no trolley 12, de um ou de dois pisos e de muito boas memórias. O Metro do Porto veio revolucionar o serviço de transportes no Grande Porto e, quando antes da minha casa em Fânzeres até ao centro da cidade levaria por vezes mais de uma hora, agora é bem mais rápido demorando meia hora. O metro à superfície tem a desvantagem de ser mais lento mas tem a contrapartida de deixar entrar o sol e das bistas para lá das janelas. Até pró ano se não for antes. Feliz 2011

    Gostar

  8. Nanny diz:

    >A mobilidade é importante, e ainda mais nas grandes cidades… todas as melhorias são importantes!Estás muito bem informado, até parece que trabalhas na Metro do Porto :-)Beijoca e Boas entradas

    Gostar

  9. Kok diz:

    >Não me vou esquecer das indicações.Vão ser uma boa ajuda quando passar pelo Porto.1 Abraço!!!§-do metro de Coimbra nem sombras…

    Gostar

apenas pedalar ao nosso ritmo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s