se não os consegues vencer…


Turistas e mais turistas, novos e velhos, homens e mulheres em biclas de aluguer, muitas delas eléctricas, outros em cruzeiro cicloturístico, pedalam pelas intricadas zonas históricas, ao longo da aplanada e panorâmica marginal do Douro, pela banda de lá e pela banda de cá ao seu próprio ritmo e vontade.

Pedalar tem sido uma boa opção para quem nos visita. A cidade já nem estranha. As duas rodas movidas por um par de pedais são, aliás, cada vez mais uma alternativa aos lentos autocarros turísticos. Vários operadores turísticos procuram dar resposta à procura e à curiosidade dos visitantes, propondo várias opções de aluguer. É que, se há os que preferem alugar uma simples bicla a pedais, mesmo com preços a não serem dos mais atractivos, muitos não abdicam da assistência eléctrica para se aventurar nos inclinados acessos aos centros históricos do Porto e Gaia.

Já alguns tripeiros, nas deslocações para e do trabalho, para fugir ao trânsito e aos apertos dos transportes públicos, dão preferência à bicicleta como alternativa na mobilidade urbana. Vão serpenteando pelas ruas da Invicta nos trajectos do dia-a-dia. Não são tantos quantos eu gostaria de ver mas já dá para notar alguma mudança de paradigma, enquanto a chuva não volta em força. Na parte ocidental da cidade, por exemplo na esfera envolvente da Boavista, como é quase plana, ao contrário da baixa da cidade, permite viagens rápidas de casa para o trabalho sem grande esforço.

Para relembrar o meu exemplo, só o tempo que eu demoraria a pé de casa até a chegar ao Metro, cerca de 15 minutos, é o mesmo período em que faço a viagem completa de bicicleta até ao local de trabalho. Até picar o ponto, ainda poupo o tempo da ligação modal entre Metro e do BUS, que na melhor das hipóteses seriam outros 15 minutos.

Especialmente de manhã cedo, no acesso ao centro do Porto em horas de ponta, a principal motivação é chegar ao trabalho. A opção de percurso mais rápido é sempre o adoptado na minha deslocação diária a pedais. À tarde, o expediente de voltar a casa, da baixa do Porto à Prelada, procuro variar as opções, umas mais rápidas que outras, sempre mais longas, preferindo as margens do Douro e a nortada nas trombas. O percurso pela Foz do Douro é um desses exemplos. É mais relaxante e acrescenta qualidade de vida ao modo saudável que gosto de ter em conta.

E assim, como que por uma hora e picos, torno-me numa espécie de turista na sua própria cidade. Na nossa “pequena cidade” que é afinal uma grande cidade, que é o grupo das nossas pequenas cidades coladas umas às outras.

Voltando aos turistas, não sou imparcial no que toca a conversas sobre o desgovernado crescimento do turismo. Ouço muito boa gente dizer que o boom turístico afecta o seu dia-a-dia, as suas rotinas e o sossego. Por outro lado, há vida no bairro, outras culturas, casas renovadas e novos estabelecimentos. A diversidade enriqueceu o ambiente, a oferta ao nível do emprego. O turismo potencia negócios e faz crescer o aumento de utilizadores de bicicleta na cidade. Até os automobilistas, presos no trânsito se vão roendo de inveja. Caso para dizer, “se não os consegues vencer, junta-te a eles”.

Sobre paulofski

Na bicicleta. Aquilo que hoje é a minha realidade e um benefício extraordinário, eu só aprendi aos 6 anos, para deixar aos 18 e voltar a ela para me aventurar aos 40. Aos poucos fui conquistando a afeição das amigas do ambiente e o resto, bem, o resto é paisagem e absorver todo o prazer que as minhas bicicletas me têm proporcionado.
Esta entrada foi publicada em bicicultura com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

apenas pedalar ao nosso ritmo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s