andante ou parante, diz o reclamante!

Desde que optei pela bicicleta nas minhas deslocações para o emprego, durante este ano entrei nos veículos do Metro basicamente para ir assistir aos jogos do meu FêCêPê no Estádio do Dragão e pouco mais. Deixei portantos de ser um regular Andante para ser mais um “Pedalante” e, desde Junho com o final da excelente época futebolística até ao recente jogo da Champions, terei feito uma meia dúzia de viagens. Ora muito bem, como utilizador do serviço, contribuinte de certo modo para ajudar a aliviar o buraco da empresa e também pra não levar com uma multa das pesadas, pré-carrego os cartõezinhos azuis do Metro (sou coleccionador, pelos vistos!). A estação de Ramalde, de onde inicio as minhas viagens, tem duas MVA’s (máquinas de venda automatica), uma em cada cais e para cada sentido. Pois precisamente a maquineta nº 01512, que está no cais em direcção ao Dragão, encontra-se em blackout desde a época passada, futebolisticamente falando, off course, e ao que parece assim está já lá vão mais de três meses. Nem tuge nem muge, isto no ecrã porque no resto parece estar operacional (pede no rectangulozinho verde que se escolha o título – já vi até quem conhecesse a operação de cor e salteado, sem ver patavina no ecrã, ter desenrascado terceiros). Assim, quem precisar de pré comprar viagens e não ser um perito na arte da adivinhação só lhe resta ter que “dar um salto” à máquina do outro lado, levando a que algumas pessoas, num mero acto de preguiça, arrisquem a sua integridade física atravessando as linhas e saltando muros de meio metro (por onde andam os seguranças, pergunto? Ah… as restrições orçamentais!). Ora numa conversa circunstancial ali no local, uma senhora assegurou-me ter já feito uma exposição  à empresa sobre a situação negra em que se encontra o terminal. Da empresa obteve resposta com a justificação da presente situação com a onda de  vandalismo. Infelizmente é verdade que tenham ocorrido vários assaltos às máquinas mas não é certo que o mesmo se tenha passado com esta, pois, aparentemente, apenas terá uma avaria. De qualquer forma era mais que tempo este problema técnico estar resolvido, evitando que os utentes percam tempo e paciência e passem por dificuldades apenas para cumprir com o pagamento do serviço de forma simples e segura.

Sobre paulofski

Na bicicleta. Aquilo que hoje é a minha realidade e um benefício extraordinário, eu só aprendi aos 6 anos, para deixar aos 18 e voltar a ela para me aventurar aos 40. Aos poucos fui conquistando a afeição das amigas do ambiente e o resto, bem, o resto é paisagem e absorver todo o prazer que as minhas bicicletas me têm proporcionado.
Esta entrada foi publicada em Metro com as etiquetas , . ligação permanente.

apenas pedalar ao nosso ritmo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s