“põe um grande sorriso no seu rosto”

e o sorriso é do meu filho…

… numa printscreenzada ao fabuloso filme de Vasco Mendes da Massa Crítica de Março.

Mas a dica para o título e o pretexto para o post veio pelo correio em forma de comentário/testemunho de José Mota:

“Eu pedalo em Lisboa e é um pouco como dizes, a bicicleta ainda não é vista como um meio de transporte como outro qualquer, há muita falta de civismo, mas não é tão mau e definitivamente não é desculpa para não andar de bicicleta… Em termos de desculpas o top 3 são:  1º o suor, 2º as colinas, 3º o perigo em lisboa. Do que tenho visto nenhuma delas é verdadeira para mim. A 1ª basta pensar que não se está a fazer corridas, é andar nas calmas, sua-se um bocadinho mas nada de insuportável, é normal  e até sem andar de bicicleta se sua…. A 2ª, se é um problema, que se compre algo com mudanças que resolve o problema. A 3ª, há de tudo! A maioria das pessoas até respeita e dá prioridade em locais onde não é suposto. Há sempre os artistas, mas o melhor é a condução defensiva e nas calmas, ainda não me vi em nenhuma situação de verdadeiro perigo…

Quero falar da última frase: “A reacção (das pessoas) é sempre a mesma: “adorava poder fazer o mesmo”, dizem. É verdade, desde que comecei a pedalar já despoletei esse sentimento em muitas pessoas, dentro e fora do trabalho, o que me agradou muito porque eu não sou nada de “impingir” ideias e apenas o meu exemplo serviu para despertar a vontade de ir de bicicleta. Até surgiu um movimento no trabalho para haver balneários para o pessoal tomar duche. Ganhou força conceptualmente mas na prática…. hum… duvido, acho que era preciso as pessoas começarem mesmo a ir de bicicleta para acontecer alguma coisa, para se ver que existe mesmo vontade. Eu lá continuo a ir todos os dias, sem balneários e ainda ninguém fugiu de mim, ehehe…

Como eu disse outro dia, a discutir as motivações de andar de bicicleta, as razões para começar a andar pouco importam desde que se ande e que nos divirtamos com isso.

O benefício que mais gosto é: “Põe um grande sorriso no seu rosto”. Se as pessoas experimentassem, iriam surpreender-se com a satisfação de andar de bicicleta no dia-a-dia.”

Obrigado José e continue a demonstrar os beneficios da bcicleta. Boas pedaladas.

p.s.: Sobre o Cycle Chic do Porto, deixo ligação para a reportagem no Jornal Público.

Anúncios

Sobre paulofski

Na bicicleta. Aquilo que hoje é a minha realidade e um benefício extraordinário, eu só aprendi aos 6 anos, para deixar aos 18 e voltar a ela para me aventurar aos 40. Aos poucos fui conquistando a afeição das amigas do ambiente e o resto, bem, o resto é paisagem e absorver todo o prazer que as minhas bicicletas me têm proporcionado.
Esta entrada foi publicada em testemunho com as etiquetas , , , , , , , , . ligação permanente.

apenas pedalar ao nosso ritmo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s