se não as consegues vencer…

Cada vez mais em voga, a industria automóvel expõe bicicletas revolucionárias ao lado dos seus popós, competindo com esbeltas e sensuais modelos. Ponham-se a pau meninas

No Salão Automóvel de Frankfurt do mês passado foi a vez da Ford  “acrescentar um surpreendente complemento à sua gama, uma E-Bike. A construtora reclama para si o desenvolvimento de “um conceito deslumbrante que combina tecnologia de ponta com sensores provenientes do mundo da Fórmula 1 com componentes topo-de-gama para bicicletas”.

“O mercado de E-Bike está a crescer muito, muito rapidamente, com cerca de 30 milhões de unidades vendidas globalmente no ano passado”, afirmou Axel Wilke, Director da Ford Europa. “Nós vemos as E-Bikes como um elemento importante da mobilidade eléctrica urbana. Mais e mais pessoas estão a utilizar as E-Bikes para deslocações de curta distância e estão a tornar-se confortáveis com o conceito de mobilidade eléctrica”.

Prontos. Então, se quisermos um conceito inovador em que não tenhamos de suar as estopinhas nos declives, a industria automóvel “trabalha” para nós no desenvolvimento tecnológico, vende-nos os seus automóveis e depois faz o favor de nos compensar com soluções brilhantes.

“Com o seu design moderno, apelo a ambos os sexos, qualidade de construção robusta e um conjunto de componentes de alta performance, acreditamos que a Ford E-Bike Concept será o complemento perfeito para as soluções de mobilidade que vamos oferecer”, acrescentou Wilke.

Qualquer bina a pilhas com motor não me parece que seja muito ecológica. Mais ecológica seria mesmo uma bicicleta tradicional, mas se tivermos em conta que muita gente não trocaria um carro por uma bicicleta tradicional poderíamos considerar que pelo menos alguns concordariam optar por esta solução. No entanto, a Ford defrauda expectativas quando diz “não planear produzir a E-Bike, mas que vai continuar a estudar o conceito, juntamente com outras soluções de mobilidade para o futuro”! E eu que estava quase quase a convencer-me que num futuro a muito longo prazo poderia, para além das do pace-maker, acumular energia nas baterias ! Voltem a dar o lugar às meninas, ó faxabôre!

Sobre paulofski

Na bicicleta. Aquilo que hoje é a minha realidade e um benefício extraordinário, eu só aprendi aos 6 anos, para deixar aos 18 e voltar a ela para me aventurar aos 40. Aos poucos fui conquistando a afeição das amigas do ambiente e o resto, bem, o resto é paisagem e absorver todo o prazer que as minhas bicicletas me têm proporcionado.
Esta entrada foi publicada em tecnologia com as etiquetas , , , . ligação permanente.

2 respostas a se não as consegues vencer…

  1. Gostei muito desta última err bicicleta 😎

    Gostar

  2. Pingback: se não as podes vencer… tipo, sequela! | na bicicleta

apenas pedalar ao nosso ritmo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s