um roteiro de bicicletas pelos caminhos de Portugal


Uma boa notícia para todos os amantes das pedaladas, cicloturistas, bêtêtistas, enfim, ciclistas… Portugal terá um roteiro para circulação de bicicletas. Este é o objectivo de Paulo Guerra dos Santos, que depois de em 2010 ter percorrido 4500 quilómetros pelo país, saiu este domingo da Torre de Belém a pedalar pelos caminhos de Portugal e a promover a mobilidade ciclável.

O projecto “Ecovias de Portugal” pretende sinalizar, em mapa e em GPS, as vias de reduzido tráfego automóvel ou só para bicicletas, onde se pode pedalar em segurança, e incorporar informações úteis, como números de emergência, oficinas de bicicleta e pontos de interesse turístico ou onde comer e dormir.

O percurso inicial, até Monsaraz, será a Ecovia nº 1. “Vou pedalar cerca de 200 quilómetros em seis dias, com paragens em Vila Franca de Xira, Coruche, Mora, Arraiolos e Évora. Por dia farei cerca de 30 quilómetros, está ao alcance de qualquer um”, disse o Paulo. Já tem reuniões marcadas com as autarquias por onde passará e com clubes de BTT, dos quais espera receber contributos sobre os melhores percursos. O objectivo é abranger todo o País em dois anos. “O roteiro vai ser positivo para as regiões porque agregará a oferta turística que está dispersa”. “Na última década, houve uma explosão do BTT e do cicloturismo e se houver informação sobre os melhores caminhos mais pessoas vão aderir. Os tempos de crise também fazem as pessoas reequacionar o que gastam em transporte e a bicicleta é um meio económico, faz bem à saúde e fica a conhecer-se muito melhor os sítios por onde se passa”, diz este apaixonado das duas rodas, professor e Mestre em Vias de Comunicação de 28 anos que usa sempre a bicicleta para se deslocar em Lisboa, até mesmo quando vai sair à noite.

Para avançar com o projecto, Paulo Guerra dos Santos teve de recorrer a patrocínios. A viagem até Monsaraz pode ser acompanhada no site http://www.ecovias.pt.vu/ ou no Facebook, em “Ecovias de Portugal”.

Fonte: CM
Anúncios

Sobre paulofski

Na bicicleta. Aquilo que hoje é a minha realidade e um benefício extraordinário, eu só aprendi aos 6 anos, para deixar aos 18 e voltar a ela para me aventurar aos 40. Aos poucos fui conquistando a afeição das amigas do ambiente e o resto, bem, o resto é paisagem e absorver todo o prazer que as minhas bicicletas me têm proporcionado.
Esta entrada foi publicada em divulgação com as etiquetas , , . ligação permanente.

apenas pedalar ao nosso ritmo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s