equilibrio e juizinho

Diz-se que não se é um verdadeiro ciclista enquanto não se der o primeiro trambolhão. Muitas histórias poderia contar sobre o rol de acidentes que tive quando pedalava as minhas bicicletas. Nem mesmo as cicatrizes que ostento, tatuadas nos joelhos, nas mãos e cotovelos, me orgulham desses feitos e não me tornam um especialista sobre este tema. Mas fui um tipo sortudo, especialmente destemido nas minhas loucuras juvenis, e sobrevivi a todos eles sem grandes traumatismos. Agora claro que já não é bem assim, a idade e o acatamento me amedrontaram.

Pois bem, eu entendo que o meu filho na sua juvenilidade e conduta radical naturalmente negligencie o risco e certos cuidados a ter enquanto pedala nas suas viagens. Como pai e ciclista compete-me adverti-lo para situações potencialmente perigosas que vai encontrar na rua. Saber antecipar, não facilitar, zelar e proteger-se, sobretudo quando pedala à noite. Que não se julgue imune a acidentes porque eles acontecem quando menos se espera. Até para cair basta estar parado! Uiii…

Segunda-feira à noite, quando regressava do treino de judo na sua bicicleta, já pertinho casa, deparou-se com um apagão total. Não havia iluminação nas ruas, e mesmo assim resolveu bêtêtar por um pequeno jardim, o que habitualmente faz para atalhar caminho.  Seguiu por carreiro de terra e pedras, completamente às escuras. Facilitou, calculou que sabia o caminho de cor e salteado, não deu conta de uma pedra solta, a roda da frente resvalou e, num repente, o chão ficou mais perto. Apareceu em casa irritado, sujo e dorido, com um joelho ensanguentado. Nada de dramatismos Rafa, são ossos do ofício.

Cuidados  a ter:

Lavar o ferimento com água ou soro fisiológico.

Limpar a ferida o mais suavemente possível e retirar todos os resíduos, como areias, terra, pele solta, para não infectar.

Um excelente curativo a ter na farmácia de casa, para a prevenção e tratamento de feridas, é o Duoderm. Aplique-o e deixe por alguns dias. É respirável, bastante resistente à água, e cura as feridas rapidamente. Basta colocá-lo sobre a ferida sem aplicar nenhuma pomada sobre ela e deixar a ferida cicatrizar.

Se vai doer? Ah pois vai. É experimentando que aprendes a ter mais cuidado…

Sobre paulofski

Na bicicleta. Aquilo que hoje é a minha realidade e um benefício extraordinário, eu só aprendi aos 6 anos, para deixar aos 18 e voltar a ela para me aventurar aos 40. Aos poucos fui conquistando a afeição das amigas do ambiente e o resto, bem, o resto é paisagem e absorver todo o prazer que as minhas bicicletas me têm proporcionado.
Esta entrada foi publicada em Rafael com as etiquetas , . ligação permanente.

apenas pedalar ao nosso ritmo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s