não são os grandes planos que dão certo, são os pequenos detalhes

A Câmara Municipal do Porto (CMP) pôs recentemente em prática o chamado plano “resgatar o espaço público”, o qual, para além de várias transformações rodoviárias, prevê o alargamento da rede de ciclovias de 19 para 54 km até ao final do ano. Com efeito, a mobilidade em bicicleta tem sido um dos parentes pobres das políticas de mobilidade da CMP.

Ao contrário de outras cidades, no Porto, o investimento na promoção da bicicleta como modo de transporte tem sido praticamente nulo. Até há pouco tempo, a mobilidade ciclável não tem tido a atenção merecida pela CMP e é vista com algum desprezo por parte dos responsáveis políticos. Por exemplo, Rui Moreira chegou a dizer que não acredita na bicicleta como solução de mobilidade para a cidade. O presidente da CMP chegou inclusive a defender medidas retrógradas como a matrícula e o seguro obrigatório! Enfim…

Ok, o “plano” representa uma aparente inversão nas políticas até agora seguidas pelo município, o que é de salutar. Algumas “ciclovias” têm sido desenhadas em meio rodoviário, onde devem estar, mas muitas outras apresentam evidentes erros de desenho, soluções engenhocas… sim, engenhocas, para tentar dar a volta às estreitas ruas, aos sentidos únicos e ao fluxo rodoviário. Exemplo recente é a “ciclocoisa” desenhada desde a Rotunda da Boavista, pela Av. de França até à Av. de Xangai, para ligar à ciclovia da Prelada. Por exemplo na Rua Vieira Portuense foi suprimido o estacionamento em excesso em benefício de uma via ciclável de dois sentidos, dando assim a possibilidade ao ciclista circular em segurança por uma rua de sentido proibido. Fixe, mas depois a mobilidade encrava com a atitude mesquinha e recorrente de certos automobilistas que acomodados teimam em desrespeitar tudo e todos. Exemplo:

Antes do plano da CMP, assim estava a Rua Vieira Portuense (imagem Google Street de setembro de 2019)

Rua Vieira Portuense, de um único sentido e onde era habitual o estacionamento em ambas as bermas (em cima da passadeira também!)

Depois do “plano” assim está a mesma rua. Imagem de anteontem à tarde, tirada quando eu  pretendia utilizar a “ciclocoisa” da Av. de França cumprindo o sinal de “obrigação”

Agora, na mesma rua, o ciclista terá duas soluções… vá lá, três! Circular pela esquerda na faixa de rodagem em sentido proibido, circular pela direita no passeio… a terceira é passar-lhe por cima!

Para que efectivamente a cidade do Porto desenvolva uma boa rede de ciclovias é essencial tornar a bicicleta uma solução de mobilidade acessível a todos. Não basta avançar com medidas avulsas, é necessário articular um conjunto de medidas coerentes e integradas com vista à promoção da mobilidade em bicicleta, com fiscalização, campanhas de sensibilização e orientações básicas junto dos todos os munícipes, sejam eles automobilistas, ciclistas, ou não.

Sobre paulofski

Na bicicleta. Aquilo que hoje é a minha realidade e um benefício extraordinário, eu só aprendi aos 6 anos, para deixar aos 18 e voltar a ela para me aventurar aos 40. Aos poucos fui conquistando a afeição das amigas do ambiente e o resto, bem, o resto é paisagem e absorver todo o prazer que as minhas bicicletas me têm proporcionado.
Esta entrada foi publicada em mobilidade com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

4 respostas a não são os grandes planos que dão certo, são os pequenos detalhes

  1. Sabes o que dizem os donos de Mercedes? Há dois tipos de carros: os Mercedes e os outros. Alguns julgam mesmo que são uma classe aparte…
    Esse estava a merecer o velho truque do pipo. Desatarracha-se a tampa do pipo, coloca-se uma pedrinha dentro da tampa e volta-se a colocar…
    Não estraga nada, mas obriga o dono a trocar a roda! Excepto se for daqueles que saca logo do spray anti-furos!
    Só fiz isso uma vez na vida, quando vi um puto armado em esperto a estacionar num lugar reservado a deficientes. Aposto que nunca mais repetiu a gracinha!

    Liked by 1 person

  2. Nelson Branco diz:

    Foi uma pega de caras Paulo!!! O fulano do carro até ficou surpreso de haver tantos lugares para estacionar!!! Enfim.

    Liked by 1 person

  3. paulofski diz:

    essa partidinha do pipo até que está bem amanhada 🙂

    Liked by 1 person

  4. paulofski diz:

    Pois merecia Nelson, mas claro que optei pelo passeio passar-lhe ao lado e “amandar-lhe” umas bocas. Ontem aconteceu o mesmo, com outro carro na rua seguinte. A ocupante do bêéme, que estava no lugar do morto, assim que ouviu os ralhetes de outro ciclista que circulava em sentido contrário, nem sabia onde se havia de meter 😀

    Liked by 1 person

apenas pedalar ao nosso ritmo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s