notícias do pedal

Sem mãos… e com dentes

sem mãos e com dentes“Em sete escolas básicas de Lisboa aprender a andar de bicicleta faz parte do currículo. A Escola Clube de Ciclismo de Lisboa Coelhinhos desenvolve um projeto inclusivo que, em seis horas, deixa os mais pequenos a dominar as artes da bicicleta, incluindo indicar mudanças de direção sem ganhar buracos no sorriso.

Ufana na sua camisola cor-de-rosa, Bruna pedala afincadamente pelo recreio da Escola Homero Serpa, no Casalinho da Ajuda. Equipada com capacete e luvas, avança compenetrada, seguida de perto por Mário. «Trava! Trava! Trava! Com os pés, não!…» O alerta chega demasiado tarde – os pés de ambas as crianças já estão firmemente poisados no chão, como forma de reduzir a velocidade e parar. Afinal, pode não parecer, mas ainda há três dias não sabiam andar de bicicleta e tudo o que não seja avançar em linha reta é ainda um desafio.

Do outro lado do recreio, um grupo de alunos divide-se em duas equipas. Objetivo: andar o mais devagar possível. O primeiro a terminar o percurso e/ou a pôr os pés no chão, perde. Concentrada, Raíssa não esconde um pequeno sorriso de orgulho quando elimina o elemento da equipa adversária – para mais, é o irmão!”…

(ler mais em http://www.dn.pt/noticias-magazine/interior/sem-maos-e-com-dentes-5152527.html)

Ciclaveiro recebeu prémio europeu e apresentou atividades desenvolvidas a partir de Aveiro na promoção da bicicleta

Ciclaveiro“O Ciclaveiro foi distinguido pela European Mobility Week, em consulta com a Comissão Europeia, “como o melhor exemplo europeu de acções de sensibilização e promoção da mobilidade urbana sustentável” entre as quase 200 acções registadas.

Membros do grupo informal participaram no encontro de preparação da Semana Europeia da Mobilidade 2016, que teve lugar em Bruxelas (20 e 21 de Abril), aproveitando para apresentar as suas atividades desenvolvidas a partir da cidade de Aveiro na promoção da bicicleta.

O Ciclaveiro coordenou dois workshops atendendo às experiências de cooperação com o comércio local e dar a conhecer o potencial da região de Aveiro no sector das bicicletas.

O grupo destaca “a importância que a Comissão Europeia actualmente atribui às questões da mobilidade sustentável, pelos seus benefícios ambientais, sociais, de saúde e económicos”.

O evento incluiu ainda a cerimónia de entrega de prémios, que contou com a presença do Comissário Europeu para o Ambiente, Karmenu Vella, para o melhor plano de mobilidade urbana sustentável ganho pela cidade de Múrcia, pela promoção de modos de transporte activos (a pé e bicicleta).

O grupo Ciclaveiro foi criado no final de 2014, tendo desde há cerca de um ano desenvolvido uma série de actividades e projectos, envolvendo um largo espectro da comunidade, de promoção da utilização da bicicleta como modo quotidiano de transporte, e de colaboração com as autoridades locais, sugerindo e propondo medidas para que a utilização da bicicleta se torne mais fácil, segura e comum.”

(fonte: http://www.noticiasdeaveiro.pt/noticias/Print.aspx?idcont=39652)

Estocolmo tem proposta para financiar uso da bicicleta com taxa cobrada dos motoristas

stockholm biking“Cada centavo que uma cidade investe em ciclismo volta com juros em forma de saúde para seus cidadaos, em benefícios para o meio ambiente e na reduçao dos congestionamentos. Quem defende esse ponto de vista é Teo Enlund, pesquisador do Royal Institute of Technology (KTH), de Estocolmo, na Suécia. Enlund faz parte de um grupo de pesquisa, formado também pelas doutorandas Hanna Hasselqvist e Mia Hesselgren, que pretende transformar a capital sueca numa das melhores cidades do mundo para pedalar. Uma das propostas do grupo é usar uma taxa que já é cobrada dos motoristas da cidade e revertê-la em créditos para os ciclistas. Atualmente, os motoristas que circulam no centro pagam uma taxa cujo valor varia dependendo da hora do dia. Para os ciclistas, essa verba nao seria entregue em espécie, mas em créditos para a manutençao da bicicleta, como a mudança para pneus de inverno, o conserto de um pneu furado ou lubrificaçao da correia, explica o Sao Paulo Sao. Outra proposta é melhorar a infraestrutura da cidade para garantir mais segurança aos ciclistas, construindo, por exemplo, uma rodovia com duas grandes faixas para bicicletas – uma para ciclistas rápidos e outra para os mais lentos. Além disso, a proposta prevê a permissao de bicicletas no transporte público. “Trata-se de sinais. Aqueles que tomam a iniciativa de começar a pedalar ao invés de se locomover de carro devem levar um tapinha nas costas, nao um chute na cara”, diz Enlund. Leia mais aqui.”

Anúncios

Sobre paulofski

Na bicicleta. Aquilo que hoje é a minha realidade e um benefício extraordinário, eu só aprendi aos 6 anos, para deixar aos 18 e voltar a ela para me aventurar aos 40. Aos poucos fui conquistando a afeição das amigas do ambiente e o resto, bem, o resto é paisagem e absorver todo o prazer que as minhas bicicletas me têm proporcionado.
Esta entrada foi publicada em divulgação com as etiquetas , , , , , , , , . ligação permanente.

apenas pedalar ao nosso ritmo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s