euronews da cic(l)omunidade

Quer andar de bicicleta? O Fisco pode dar-lhe um empurrão

observador“A introdução de incentivos fiscais à aquisição de bicicletas pode vir a ser uma realidade em Portugal. Basta que o Governo decida adotar uma das 40 medidas que são propostas no “anteprojeto de reforma da fiscalidade verde” elaborado pela comissão que foi nomeada pelo ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva, e pelo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio, com o objetivo de estudar e propor normas tributárias que desincentivem as emissões de gases com efeito de estufa.

O documento, que foi apresentado na quarta-feira aos jornalistas por Jorge Vasconcelos, presidente da Comissão para a Reforma da Fiscalidade Verde, e que estará em discussão pública até 15 de agosto, assinala que “não vigora no sistema (…) português qualquer incentivo fiscal à aquisição de bicicletas, quer em sede de tributação do rendimento quer de tributação do consumo”. E acrescenta que, perante as limitações impostas pela legislação da União Europeia à possibilidade de introdução de uma “taxa reduzida de IVA para a comercialização de bicicletas”, uma intervenção neste terreno terá de ser feita por via de alterações aos impostos sobre o rendimento.”…

(ler artigo completo aqui)

Copenhaga: taxa de utilização da bicicleta passou de 36% para 41% em apenas um ano

Copenhaga“Em apenas um ano – de 2012 para 2013 – a taxa de utilização da bicicleta como meio de transporte em Copenhaga, na Dinamarca, aumentou 5%. Depois de anos de estabilidade na taxa de utilização do veículo, verificou-se um aumento de 36% para 41%, naquela que é uma das cidades com maior taxa de utilização da bicicleta como veículo de locomoção.

Mas o que é que causou este aumento considerável, mesmo para uma cidade onde a bicicleta já é muito utilizada? Não está totalmente comprovado, mas a prova mais óbvia para este aumento de 5% é a construção de um novo metro na cidade, cujas obras decorrem em 17 locais diferentes e tornaram a condução dentro da cidade uma tarefa hercúlea, refere oTree Hugger.

Como tal, os dinamarqueses optaram por utilizar ainda mais a bicicleta, já que os 17 pontos de construção aboliram grande parte do espaço rodoviário destinado aos carros. Prevê-se que quando a construção do novo metro terminar, a taxa de utilização da bicicleta volte a descer, mas pelo menos os habitantes de Copenhaga vão ter um novo metro, que podem utilizar em alternativa ao carro.”

(ler artigo aqui)

Alemanha volta a usar bicicletas de carga

bicicleta carga“O Governo Alemão pretende voltar a usar bicicletas de carga para percursos inferiores a dez quilómetros. Brigitta Worringen, porta-voz do Ministério dos Transportes, explicou recentemente que três quartos das viagens realizadas naquele país correspondem a trajetos com menos de dez quilómetros, concluindo que as bicicletas de carga podem entregar todo o tipo de encomendas. Para além disso, “é um bom meio de transporte que não faz barulho nem polui”, acrescenta.

O plano para fazer renascer a bicicleta de carga já está em marcha. No ano passado Hamburgo acolheu uma conferência dedicada ao tema. A ideia tem recebido interesse de empresas privadas que já estão a usar este meio de transporte. Entre estas empresas está a UPS que utiliza a bicicleta para cargas mais leves e de menor volume, em sei cidades alemãs.

Este projeto surge no âmbito das políticas ecológicas que o executivo alemão tem vindo a concretizar. Com o objetivo de diminuir o nível de emissões de dióxido de carbono tem havido uma maior promoção e utilização tanto de energia alternativas, como a solar, ou, na área da mobilidade, o carsharing surge também como resposta. As bicicletas não foram esquecidas, contando com um investimento de 80 milhões de euros anuais para apoios e infraestruturas, previsto no plano de sustentabilidade.”

(ler artigo aqui)

Anúncios

Sobre paulofski

Na bicicleta. Aquilo que hoje é a minha realidade e um benefício extraordinário, eu só aprendi aos 6 anos, para deixar aos 18 e voltar a ela para me aventurar aos 40. Aos poucos fui conquistando a afeição das amigas do ambiente e o resto, bem, o resto é paisagem e absorver todo o prazer que as minhas bicicletas me têm proporcionado.
Esta entrada foi publicada em divulgação com as etiquetas , , , , , , , , . ligação permanente.

apenas pedalar ao nosso ritmo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s