negócios de bicicleta

Uma bicicleta-oficina que percorre o país de norte a sul para afiar facas

José Loureiro“Amolador de profissão, José Loureiro viaja de norte a sul do país parando nas cidades, vilas e aldeias, que percorre numa bicicleta transformada em oficina à procura de clientes e de facas ou tesouras para afiar.

Vive em Almada, de onde parte para percorrer o país em viagens que duram cerca de um mês. Por estes dias, José Loureiro, 50 anos, atravessou o distrito de Vila Real, seguindo de Chaves para a capital de distrito e depois em direção ao Douro.

“Ela é que é o meu ganha-pão, com ela é que eu faço o meu trabalho. Tenho aqui todo o meu material que é preciso. Está aqui tudo montado”, afirmou aos jornalistas.”…  (continuar a ler o artigo aqui)

à moda antiga

À Moda Antiga: uma viagem pelo tempo e por Portugal

“Viver fora do país é ver com clareza o que de bom o país tem. Joana e Filipe Maia regressaram e abriram em Viana do Castelo um espaço de produtos tradicionais portugueses, que funciona também como bistrô e lugar de exposições

O primeiro produto que decidiram que tinha de fazer parte da À Moda Antiga foi, na verdade, a bicicleta. “A ideia surgiu com as bicicletas e depois começamos a juntar a informação que tínhamos adquirido de todos os sítios onde estivemos no mundo”, contou.

Joana tinha-se apaixonado pelo veículo de duas rodas quando estudou em Milão, em Itália; Luís sempre se interessou por “tudo o que fosse clássico”. E desta mistura surgiram na loja as históricas e clássicas pasteleiras que geralmente brindam os visitantes na entrada do espaço.

A ideia é que os veículos possam não só ser comprados mas também alugados. E além das pasteleiras há também bicicletas inglesas e italianas e as famosas vespas.”… (ler + aqui)

Rcicla

Rcicla/Grémio. Duas rodas e uma chávena quente, por favor

“É uma loja e oficina de bicicletas, um café e espaço de convívio. Abre hoje portas na Avenida 24 de Julho, em Lisboa

Para quem vê de fora as pistas não são muitas. De um lado uma rampa para skate, do outro uma parede repleta de rodas de bicicleta para todos os gostos e ainda selins e todos os tipo de peças num autêntico puzzle das duas rodas. Alugar uma para ir passear é possível, comprar também entra nos planos ou ainda pensar noutra completamente personalizável, as hipóteses estendem-se. No cimo das escadas descansam-se as pernas e saboreia-se um café especial, dos tradicionais, com tempo para longas conversas ou um prato vegetariano. Em baixo a Rcicla de Vítor Peixoto, no topo o Grémio de Marco Costa. Não existe propriamente um conceito, explicam num encolher de ombros, guiam-se mais pelas vontades práticas. E quem diria que o cheiro a oficina se podia mesclar tão bem com o aroma a café?”… (ler + aqui)

 

Anúncios

Sobre paulofski

Na bicicleta. Aquilo que hoje é a minha realidade e um benefício extraordinário, eu só aprendi aos 6 anos, para deixar aos 18 e voltar a ela para me aventurar aos 40. Aos poucos fui conquistando a afeição das amigas do ambiente e o resto, bem, o resto é paisagem e absorver todo o prazer que as minhas bicicletas me têm proporcionado.
Esta entrada foi publicada em divulgação com as etiquetas , , , , , , , , , . ligação permanente.

apenas pedalar ao nosso ritmo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s