e-bike Faraday… day by day, e isto já sou eu a acrescentar

O projecto vencedor do concurso do ano passado Oregon Manifest Design Competition chegou ao mercado. Não é propriamente uma bicla, também não é um ciclomotor. Os seus inventores esperam que seja o compromisso perfeito. Sim, estou a falar de uma moderna e utilitária bina urbana que arrebatou corações e espantou meio mundo do People’s Choice Award.

Desenhada pela IDEO, um projecto internacional de consultoria e inovação, a e-bike Faraday combina um design clássico e elegante com a fina-flor da tecnológica para criar uma bicicleta vanguardista. Esta e-bike é especialmente dedicada ao ciclista que comuta em áreas urbanas acidentadas. Permite viajar distâncias consideráveis até ao escritório, começar a trabalhar sem estar suado e, no final do dia quando estiver cansado, regressar descontraidamente a casa.

Possui um sistema de pedal auxiliar que garante a energia. Duas baterias de iões de lítio escondidas no quadro fornecem potência ao silencioso motor eléctrico na roda dianteira. O “Modo Boost” permite um aumento extra de potência para vencer terrenos íngremes. A “mota” tem um rol de características interessantes: 8 velocidades de cubo interno, guarda-lamas de madeira, luzes LED dianteiras e traseiras que ligam automaticamente no escuro. Como acessórios tem ainda um rack frontal e uma bolsa em couro no quadro. Diz que tem uma velocidade máxima de 18 quilómetros por hora e uma autonomia de 15 milhas. É claro que bastaria simplesmente manter a pedalada, apesar de que o tempo que leva a carregar totalmente as baterias da Faraday é de apenas 45 minutos, mas esta bina está carregada de estilo e pretende homenagear o famoso físico-químico inglês.

Quem quiser experimentar as emoções desta bina terá de pagar um bom preço. Fixada nos 3.800 dólares, os 250 primeiros que encomendarem a bicicleta pela Kickstarter terão um desconto de 300 notinhas verdes.

About these ads

Sobre paulofski

Na bicicleta. Aquilo que hoje é a minha realidade e um benefício extraordinário, eu só aprendi aos 6 anos, para deixar aos 18 e voltar a ela para me aventurar aos 40. Aos poucos fui conquistando a afeição das amigas do ambiente e o resto, bem, o resto é paisagem e absorver todo o prazer que as minhas bicicletas me têm proporcionado.
Esta entrada foi publicada em divulgação com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

apenas pedalar ao nosso ritmo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s