“uma jornada de mil milhas começa com um único passo”

Eu não era um tipo pesado, mas era bem mais pesado do que sou agora. Também não era propriamente gordo, mas sou hoje mais delgado do que era, digamos, há seis anos atrás. Por causa do ciclismo estou pelo menos vinte quilos mais leve. Não estou mais jovem, e continuo guloso, mas hoje sinto que estou mais forte do que já estive na minha vida.

Não é fácil começar a exercitar-se quando não se fez nada durante anos. É difícil, eu sei, e na bicicleta não é diferente. Ela cansa, faz suar, intimida. Mas os benefícios que as pedaladas nos proporcionam são imensos. Já testemunhei vários exemplos nas quais pessoas “fora de forma” reencontraram na bicicleta a força e o rejuvenescimento.

Para redescobrir a bicicleta, como daquela primeira vez em que era criança, apenas tem de dar um passo de cada vez. Mesmo que não tenha exercitado nos últimos anos. Não há nada de científico. Uma vez sentado no selim e com o guiador nas mãos, um pé no pedal, depois o outro, sentirá a magia a voltar. Se não tiver certezas qual a melhor bicicleta, se sentir oprimido pelos avanços tecnológicos dos últimos anos, não vá comprar uma bicicleta top. Praticamente qualquer bicicleta serve, até aquela que guarda coberta de ferrugem, ou um modelo concebido para o sexo oposto. Se não tiver uma, procure uma bicicleta barata, do seu tamanho, na qual se encaixe confortavelmente e experimente-a.

Se o fizer sentir mais seguro use um capacete e o equipamento que entenda necessário. Procure pedalar ao redor do bairro, numa ciclovia ou numa rua calma. Uma pedalada de 20 a 30 minutos diários já uma boa meta. Não pedale a bicicleta a um ritmo que não esteja habituado. Livre-se de querer imitar os ciclistas mais experimentados com que cruza. Terá tempo para fazer isso.

Como é que se sente ao fim de duas semanas? Já dá para sentir a diferença e maior confiança, não é? Nas semanas seguintes será capaz de andar mais. Talvez 45 minutos a uma hora. Tente pedalar mais. Tente empurrar o seu limite um pouco mais. Já estará a sentir-se mais forte, a dormir melhor. A pesar menos na balança e na consciência. Provavelmente já perdeu um quilo ou dois. Estará mesmo a considerar aventurar-se em pedaladas por áreas vizinhas, ir até espaços abertos. Quem sabe a pensar naquela bicicleta gira que viu exposta numa loja do mercado!

Importante é não parar nesta fase. Não é porque se sente melhor que vai abrandar o ritmo. Lá pela quinta semana, sei que vai querer experimentar um passeio mais longo, quem sabe à beira mar numa manhã de Domingo. Já terá vontade de partilhar umas pedaladas com amigos e conhecer outras pessoas que compartilham o mesmo vicio. Falar sobre bicicletas, segurança, regras da estrada e essas coisas!

Talvez seja difícil me fazer explicar, mas acho que nessa altura a nossa mentalidade parece se ajustar aos nossos procedimentos. Pensamos o nosso corpo de uma forma diferente. Mais aventureira, talvez! Afinal a idade é um mero estado de espírito.

Pronto, já descobriu que o ciclismo é bom. Após dois meses de se ter aventurado na bicicleta, descobriu que para além de estar mais aprumado, na realidade está se divertindo. Já vai estar a pedalar dezenas de quilómetros por semana. Perdeu peso e conheceu pessoas porreiras, mas… a velha bicicleta simplesmente não está a acompanhar o seu espírito jovem e aventureiro. E isso é uma coisa boa. Não há volta a dar-lhe! Ao cobiçar as bicicletas dos outros vai imaginar-se numa bicla toda xpto, a deslocar-se para o trabalho, a trazer as compras do supermercado, a conquistar trilhos e estradas. Talvez seja de facto a hora de visitar uma loja de bicicletas respeitável. Uma boa loja irá aconselhar e vender-lhe a bicicleta que melhor se adapte às suas necessidades. Procure uma boa recomendação e explique ao vendedor o tipo de pedalada que mais pretende fazer. Estabelecer um orçamento é essencial. Compartilhe com ele as suas vontades e objectivos que tem para a bicicleta. Uma boa explanação sobre a manutenção da bicicleta e como pedalar com segurança são de valorizar.

Agora já é um ciclista. Vá andar de bicicleta, sozinho ou com os seus amigos. Conquiste as estradas e trilhas. Seus dias de modorra no sofá e de indolência ao volante serão uma remota lembrança. Como dizem as palavras de um filosofo chinoca, que não recordo o nome: “uma jornada de mil milhas começa com um único passo”.

About these ads

Sobre paulofski

Na bicicleta. Aquilo que hoje é a minha realidade e um benefício extraordinário, eu só aprendi aos 6 anos, para deixar aos 18 e voltar a ela para me aventurar aos 40. Aos poucos fui conquistando a afeição das amigas do ambiente e o resto, bem, o resto é paisagem e absorver todo o prazer que as minhas bicicletas me têm proporcionado.
Esta entrada foi publicada em motivação com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

2 respostas a “uma jornada de mil milhas começa com um único passo”

  1. Apoiado.
    Deixo o meu testemunho: recomecei a andar de bicicleta aos 50 e muitos, para emagrecer; comecei aos poucos, 1/4 de hora a 20 minutos, não tentei forçar e dentro de poucas semanas estava a andar 1 h ou mais, com gosto, sentindo a antiga paixão pela bicicleta voltar a tomar conta de mim; depois, foi só pedalar, nunca mais parei.
    Neste Verão tenciono fazer pelo menos parte da costa alentejana de bicicleta, pelos trilhos mais chegados ao mar.
    Francisco

  2. paulofski diz:

    Excelente testemunho Francisco. É assim mesmo. Boas pedaladas.

apenas pedalar ao nosso ritmo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s